Mais verde na nossa vida

Já faz um tempo que estamos querendo trazer mais verde para o nosso dia a dia. Uma hortinha, alguns vasos, umas florzinhas, tudo isso está nos nossos planos desde que nos mudamos para uma casa.

É engraçado como crescemos rodeados de plantas, minha avó sempre amou plantar (era daquelas que sempre voltava com um galhinho da rua hehe), mas eu nunca consegui levar algo muito adiante nesse sentido. Quando o Marcus era mais novinho também cuidava do canteiro de legumes, de parreira de uva, maracujá e tudo. Mexer com a terra sempre foi algo que nos empolgou!

Recentemente, várias coincidências boas nos animaram a começar a criar nossos cantinhos de plantas: o Marcus descobriu um cacto lindo no terreno dos fundos da mãe dele, nossa vizinha fez uma hortona quase que compartilhada e minha mãe também encontrou nas plantas uma ótima terapia.

Mas quando a gente pensa por onde começar aqui em casa, rola uma dúvida gigante. Que tipos de plantas será que conseguimos cuidar? Mas que tipo de vaso a gente usa? Será que tem que colocar adubo, areia, alguma coisa especial?

Foi aí que mais uma coincidência maravilhosa aconteceu: fomos convidados para fazer a Oficina de Jardinagem da Amanda Mol. Ela tem um trabalho INCRÍVEL, vale muito espiar no site tudo de massa que ela faz. Agora sim! Estamos superanimados, pois era o empurrãozinho que faltava para esclarecermos as nossas dúvidas e colocarmos as nossas ideias em prática. Vamos fazer logo e é claro que depois contamos tudinho por aqui.

Não sei se com vocês também é assim, mas o verde, as plantas, a natureza em geral é algo que nos emociona demais, de verdade. Estar em contato com tudo isso faz uma diferença enorme na nossa vida <3

PS.: Nosso agradecimento ao pessoal do Viveiro Morro Estevão (local das fotinhos), vocês foram uns amores! 

Nova integrante!

IMG_7716-(1)

A família cresceu! O Zero também encontrou seu par e a gente mais um bichinho para dar muito amor e carinho. Adotar mais um dog já estava nos nossos planos desde que mudamos para uma casa. A Sally – que também ganhou nome de personagem de um dos nossos filmes favoritos, o Estranho Mundo de Jack – foi doada por seu antigo dono porque os outros cachorríneos da casa praticavam bullying com ela e não deixavam a mocinha comer, além da sapeca ter o hábito de fugir para caçar as galinhas dos vizinhos onde morava.

Aos poucos a nova integrante da família vai conhecendo a gente, a casa e o seu novo melhor amigo. Ela é um pouco medrosa, mas muito dócil e um verdadeiro amor de pessoa <3 haha. É quietinha, preguiçosa e mais na dela, mas carinhosa demais! Chega logo abraçando todo mundo com as suas patonas (na foto não parece tanto, mas ela é maior do que o Zero!). Já prevemos muitas aventuras e alegrias com a nossa grandona.

Seja bem-vinda Sally!

O que o meu cachorro me ensinou

O que o meu cachorro me ensinou

Minha infância foi dos gatos. A gente tinha vários, mas era uma coisa meio gato de quintal, sabe? Nem parecia que era de estimação, não desses de dar carinho e amar como fui aprender depois de “velha”. Fui ter meu primeiro cachorro depois dos 20. Eu e o Marcus ainda não morávamos juntos, mas quando fomos adotar o Zero ele já era nosso. Essa semana vão ser 7 anos dele na minha vida e é tanta coisa que aprendi com essa criaturinha que nem sei por onde começar direito.

Com o Zero e com qualquer cachorro do mundo, a gente aprende que não tem dia ruim. Que é uma escolha se render e que basta uma lambida pra lembrar o quão grato a gente precisa ser por tudo. A simples presença dele me conforta e sei que não estou sozinha mesmo quando a companhia é silenciosa. Meu cachorro me lembra todos os dias de que a gente não precisa de muito para ser feliz. Uma cama, comida, casa e carinho são motivos de sobra para agradecer. Aprendi a valorizar essas vidinhas, olhar de verdade para os bichinhos de rua e começar a ajudar, mesmo que de pouquinho em pouquinho, quem também olha por eles. Mas a maior lição que o meu cachorro me ensinou é que quanto mais amor se dá, mais amor se recebe. Uma regra simples que eu quero levar pra vida toda.

 

4 de outubro
Dia dos Animais
#naocompreadote

Foi com medo mesmo

ariadne brito

 

Troca de cidade, empresas, a vinda do Marcus, do Zero, nossa saída do apartamento para uma casa e muitas outras coisas. Foram tantas (boas) mudanças e aprendizado nos últimos anos que posso dizer que me orgulho de ter deixado o sonho falar mais alto que o medo em momentos tão importantes para mim.

E como a mocinha aqui apesar de medrosa que é, sempre quer mais, lá vai ela dar uma mexida na vida mais uma vez. Acabo de deixar uma multinacional phoda para viver de blog. Foi mal pela frase-título-de-matéria, mas foi só para reforçar o quão privilegiada e feliz eu tô me sentindo agora. Mas péra, a Fátima ainda não deixou o Par ryco não! hahaha Vou trabalhar com uma das pessoas que mais admiro nesse meio, a Flávia, do blog Fashion Coolture. Demais? Demais é pouco! Acho que ainda nem caiu minha ficha, sabia? Serião.

Algumas pessoas me perguntaram sobre o medo da mudança. Aí eu lembro de todos os textos e mensagens motivacionais que o pinterest falava pra mim. Sim, porque era pra mim, não é possível! Não é assim que a gente pensa? “Vai. E se der medo, vai com medo mesmo”. E foi o que eu fiz. O mundo todo sabe da minha paixão pela área (não estamos falando por aqui por acaso, não é mesmo?), e foi ela quem gritou mais do que nunca agora. O medo? Continua aqui todos os dias e acho que não vai me largar tão cedo. Mas não posso reclamar, nem mandar ele embora, afinal, ele esteve presente em todas as minhas maiores conquistas :)

par de vaso e fashion coolture

Fotinho da equipe (Thiago atrás das lentes!) mais gótica suave at the beach ever para comemorar! hehe <3

Nosso Janeiro

blog par de vaso

 

Primeiramente, oi! Sim sim, a gente sabe que anda sumido pra caramba :T Mas não queremos fazer nosso primeiro post de 2016 prometendo muita coisa, a não ser fazer um ano melhor. Melhor de todos os pontos de vista. Não que 2015 tenha sido um ano ruim (longe disso), mas queremos de vez correr atrás de algumas coisas que fomos deixando de lado.

A começar por esse janeiro cheio de natureza e reflexão. Deixamos de fazer algumas coisas, mas tivemos momentos bons perto de gente que a gente adora e conseguimos dar aquela respirada básica pra enfrentar os próximos desafios. Só olhando as cores desse painel é que a gente realmente percebe como esse recomeço foi importante.

instagram blog par de vaso

Seja bem-vindo, fevereiro!
As fotinhos são lá do nosso instagram :)